Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Feiticeira das Palavras

Preparação do feitiço: Pega-se num sujeito interessante, junta-se uma pitada de verbos, mexe-se bem o predicado, acrescenta-se uns adjectivos e, abracadabra, temos a magia das palavras, a alquimia dos textos.

Feiticeira das Palavras

Preparação do feitiço: Pega-se num sujeito interessante, junta-se uma pitada de verbos, mexe-se bem o predicado, acrescenta-se uns adjectivos e, abracadabra, temos a magia das palavras, a alquimia dos textos.

30.04.21

A Verdade...

V.

As mentiras que contamos a nós próprios! As ilusões que alimentamos na nossa cabeça, porque a realidade, às vezes, é dura demais! Sim, não vale a pena viver uma mentira, fugir da realidade, mas todos nos protegemos como podemos, todos fazemos o melhor que sabemos. Há alturas na vida, que não temos forças para encarar a verdade, mesmo quando estamos fartos de a ver.

Viramos as costas, fingimos que não vemos, não ouvimos, não percebemos o que é tão dolorosamente óbvio. Mantemos a mentira, a ilusão por mais uns dias, meses, anos... sempre à procura da força e coragem para a enfrentar. Em busca da capacidade para dizer "Basta, eu sei, eu já percebi, não vale a pena mentir mais".

Por vezes, a ilusão é tão mais doce que a solidão e o sofrimento que acompanham a verdade. Mas as lágrimas estão lá na mesma... só não nos permitimos chorar para não quebrar a ilusão. A dor permanece dentro de nós à espreita, como uma ameaça subtil, pronta para nos atacar quando menos esperamos.

Dizem-nos que não adianta, que a verdade sempre nos irá apanhar, que estamos apenas a protelar o inevitável e, racionalmente, sabemos isso. "A verdade te libertará", não é esse o lugar comum que todos repetem. Pois... mas qual é a tua verdade? Qual será a libertação que vem do sofrimento de se perder algo ou alguém que nos é tão querido? Lugares comuns não se aplicam quando se trata de assuntos do coração, não fossemos nós tão magnifica e ricamente diferentes.

Não, hoje a verdade não me libertará, porque eu ainda não tenho forças para a enfrentar. Talvez um dia a consiga encarar e dizer "Estou pronta para ti" ou talvez alguém a imponha sem eu ter uma escolha ou opinião. A vida tem o seu tempo, o nosso caminho as suas paragens e cruzamentos, mas o destino está lá à nossa espera, paciente e magnânimo, para os receber os seus filhos... com ou sem dor.

30.03.21

Nunca te arrependas

V.

Eu cometi um erro... aliás cometi vários, mas o maior de todos foi achar que um dia ia deixar de te amar. Acreditar que este sentimento que crescia e pulsava dentro de mim, um dia iria embora como veio. Pensar que eu seria capaz de abrir mão da felicidade que me trouxeste, da alegria com que salpicaste a minha vida e os meus dias. 

Não me arrependo, como poderia, se és tudo que sonhei e mais? Todos os momentos que passámos juntos ficaram gravados em mim, cada toque, cada beijo, cada palavra, como fonte de água fresca que sacia a minha sede de amor. Procuro respostas nas estrelas, converso com a lua e faço pedidos ao mar. Peço ao vento que te leve os meus beijos e ao sol que nos ilumine. Quando me deito imagino o teu corpo encostado ao meu, o teu calor e o teu carinho. Fecho os olhos e imagino que estou a encostar o rosto na curva do teu pescoço e te respiro, continuas a ser o meu oxigénio favorito. Tenho conversas longas contigo em que te digo tudo o que fica por dizer, tudo que não tenho coragem de verbalizar e sonho contigo para apaziguar as saudades que me engolem.

Quis tanto acreditar, tanto, tanto que acreditei. Quis crer que as histórias de encantar eram possíveis e foram. Quis que fosses o meu príncipe e és. Quis viver aquele amor único e belo que todos procuramos e vivi.

Mas como se volta atrás? Como se recua de uma vida em que o nosso coração está pleno, completo, preso na mais livre loucura, para o antes? Para os dias em que havia um vazio, uma estagnação e dureza de sentimentos que cobriam a verdade que ia lá dentro? Como se passa de ter tudo, para perder o tudo que se encontrou? 

Sabes, eu não te esperava. Não esperava que o teu sorriso me desarmasse, que o teu carinho colocasse por terra anos e anos de defesas bem montadas. Não esperava que o teu amor curasse a dor que trazia cá dentro, que o teu corpo me fizesse conhecer o meu como nunca conheci. E acima de tudo não esperava que os teus lábios soubessem ao meu destino e os teus braços sentissem como o meu lar.

Se tudo isto faz sentido? Não, provavelmente, não. Se é aceitável? Possível? Desejável? Também não. Se é o que me deu a mim sentido, se é o que eu desejo, aspiro e almejo todos os dias? Então aí a resposta é, definitivamente, sim...

Seja qual for o nosso destino, não me arrependo. Sem ti nunca saberia que algo assim é possível. Que podemos nos sentir tão completos com alguém sem termos que deixar de ser nós próprios. Que um amor sem tabus, sem barreiras é possível e que o sempre e só, só a nós pertence. Deixaste de acreditar ou talvez eu te tenha desiludido... seja qual for a resposta, a única coisa que espero é que nunca te arrependas.

26.03.21

Destino...

V.

Há dias que são anos e anos que são dias... Quando na escuridão, os dias arrastam-se, demoram-se, repetem-se iguais uns aos outros e nada nos faz sorrir. Cabe num dia uma eternidade até chegar o alívio do sono... para os que conseguem dormir. Quando estamos felizes, o tempo urge e corre como um rio no seu leito, os dias são meros piscares de olhos. Não podemos parar o tempo, como não podemos parar o rio. Só nos é permitido conhecer aquela sensação de que, naquele preciso momento, tudo está bem, tudo é perfeito e guardar essa recordação. É tudo tão frágil, tão efémero que quando esses momentos surgem, nos queremos agarrar a eles. Passamos depois tanto tempo à espera de os repetir, na ilusão talvez, de que podemos até voltar atrás no tempo.

Temos a nossa vida e felicidade suspensas nos fios delicados do destino, da vontade alheia, do acaso, das nossas próprias fraquezas. Queremos acreditar que controlamos esses fios, que não somos nós as "marionetas" e sim os protagonistas da nossa vida. Todavia, pergunto-me cada vez mais, se assim é. Podemos lutar, enfrentar, trabalhar. Podemos ser corajosos, honestos, idóneos. Podemos ser tudo que as "filosofias" nos dizem que devemos ser e ainda assim não conseguir a tão almejada felicidade. Podemos alcançá-la, sentir que estamos realizados e de bem com a vida e basta um carro extraviado, uma doença, uma queda, um acidente para deitar por terra tudo que construímos.

Andaremos nós às voltas e voltas para chegar a um mesmo destino? Podemos nós controlar realmente a nossa vida?

Podemos dar o nosso melhor. Viver um dia de cada vez, sonhar e planear com a certeza porém que teremos que mudar sonhos e objetivos pelo caminho. Podemos amar e sorrir, trabalhar e fazer o que nos dá prazer. Podemos ter as nossas pessoas, atividades e as nossas paixões. Podemos ter a nossa bondade e a nossa paz. Controlar o que é controlável, lutar pelo que queremos, enfrentar os nossos medos e a vida de frente e, no fundo, rezar para que o aleatório, o caos, o imprevisível não destrua o nosso castelo de ilusões.  Podemos ter esperança, podemos ter fé, podemos querer. O resto... bem, o resto é o resto e só o amanhã o dirá...

03.02.21

Estás sempre comigo

V.

Mesmo à distância te encontro, nos meus sonhos, nos meus pensamentos. Há brisas de vento que me beijam com os teus lábios, arrepios que são carícias tuas, raios de sol que são abraços teus. Nunca estou sem ti, nunca estás longe, porque moras no meu coração.

Fazes parte de mim, és intrinsecamente meu, como eu sou incondicionalmente tua. Somos seres individuais sim, vivemos vidas separadas sim, mas estás sempre presente, falas comigo, vejo o teu rosto, beijo os teus lábios. Não, a distância não nos separa, as diferenças não nos condenam, a sociedade não nos aparta. É algo superior, escrito nas estrelas do destino, inevitável e basilar. 

Com todo o grande amor, existe uma dose de dor, não há tamanha felicidade sem a tristeza a ela associada, como em tudo na vida, os contrários tocam-se e caminham de mãos dadas. É necessário encontrar o equilíbrio e a paz. A vida não é sempre como queremos e as contrariedades estarão sempre presentes. Este sentimento é demasiado bom para se perder por não se encaixar num qualquer papel ou rótulo do aceitável, expectável ou desejável. 

És luz na minha vida, norte e sentido, és alegria e felicidade como nunca conheci e não mais quero viver na escuridão. Não importa a distância, as condicionantes ou, até mesmo a dor de não estar contigo... até porque, estás sempre comigo.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub