Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Feiticeira das Palavras

Preparação do feitiço: Pega-se num sujeito interessante, junta-se uma pitada de verbos, mexe-se bem o predicado, acrescenta-se uns adjectivos e, abracadabra, temos a magia das palavras, a alquimia dos textos.

Feiticeira das Palavras

Preparação do feitiço: Pega-se num sujeito interessante, junta-se uma pitada de verbos, mexe-se bem o predicado, acrescenta-se uns adjectivos e, abracadabra, temos a magia das palavras, a alquimia dos textos.

29.12.20

Rascunhos da vida

V.

De repente e sem saber muito bem como, ela encontrava-se numa situação em que não sabia o que fazer. Não é que, não saber o que fazer, fosse uma situação incomum para ela. Não, pelo contrário. Apesar do seu aparente bravado e confiança, era uma mulher muito insegura. Estupidamente insegura para alguém como seu porte e experiência de vida. Tudo muito bem dissimulado por trás daquela máscara perfeita de mulher inatingível e confiante.

Não, não saber o que fazer, era até bastante comum, terreno conhecido seu e já muito batido. Mas, quando em dúvida, a sua solução era fazer o que todos esperavam de si, seguir o caminho do apaziguamento, corresponder às expectativas e agradar a todos.

Todavia, deparava-se agora com uma situação em que, pela primeira vez em muito tempo, não estava disposta a abdicar do que queria, não estava disposta a desistir. Estava disposta até a "bater o pé"... não como uma criança birrenta e amuada, mas como uma mulher que descobriu algo que a faz sentir feliz e completa e não está disposta a perdê-lo, por muito que magoe os outros.

Arregalou os olhos estupefacta com a sua própria determinação. "Tem que ser algo realmente forte e sério para estar disposta a lutar por isso! Não vou seguir a via do convencionalismo e suprimir os meus desejos e vontades pelo bem comum?". Sim, tinha que ser algo novo, forte, inquebrável. Este sentimento que lhe crescia no peito, esta luz que a inundava, a trazia de volta à vida e dava sentido a tudo... Este amor que lhe batia no peito ao ritmo do seu coração e descompassando-o ao mesmo tempo. Quão extraordinária era esta novidade, quão empolgante se tornava a vida, quão doce passara a ser a sua existência em si mesma.

E não é que, afinal, ela sabia perfeitamente o que fazer! Não é que, de repente, não havia qualquer dúvida!... Lutar, não desistir, amar e vencer. Sim, era precisamente isso, era afinal só isso que podia fazer, o único caminho que concebia. Até podia não vencer no fim, mas ia tentar, ia para frente com tudo e, quanto mais não fosse, pelo caminho iria lutar, não desistir e amar... e só isso, era por si só, uma vitória.

24.12.20

Para ti neste Natal...

V.

Queria ser o sol,

para a tua vida iluminar.

Queria ser o vento,

para te sussurrar ao ouvido

mil segredos de todo o mundo.

Queria ser as estrelas,

cujo brilho esmorece à tua beira.

Queria ser a água,

para os teus lábios refrescar.

Queria ser o fogo,

que o teu corpo aquece.

Queria te oferecer 

toda a riqueza do mundo

e toda a beleza do Universo.

Queria ser tudo o que te agrada

queria, no fundo, ser a tua amada...

21.12.20

O segredo

V.

Um dia que amanheceu como qualquer outro, um dia de sol e promessas de sorrisos. Amizades, aventuras, brincadeiras e gargalhadas até ser vencida pelo cansaço. Adormece pura e casta, repleta de esperança e inocência. Tudo muda tão rápido, sem o seu controlo, uns minutos de sono e o pesadelo começa. O desconforto, um estremecimento, uma dor, a confusão.

Os pesadelos são assim, acontecem quando menos se espera. É invadida pelo horror, instala-se o medo, um pânico que a impede de respirar. O cheiro que lhe revolta o estômago. Nunca esquecerá o fedor que a faz sentir imunda, sente-se afogar na sujidade, só a água a pode fazer respirar, só um banho lhe devolverá a dignidade que, em certa medida, para sempre se perdeu.

Acorda, o pesadelo acabou, mas a inocência foi-se, a pureza arruinada. Não mais será a mesma... não tem culpa, mas parte de si, vai recriminar-se toda a vida. Afinal, é o seu pesadelo, a mais ninguém pertence senão a ela. A inocência foi roubada, não a deu, mas é um segredo que guarda dentro de si, porque haverão sempre os que duvidarão. É um segredo que a mina e apodrece, como o fedor que nunca esquecerá. Um segredo que, como uma aranha, constrói uma teia à sua volta, a esmaga e oprime lentamente, mas a mantém segura do mundo exterior... e este segredo, tal como o pesadelo, só a ela pertence.

15.12.20

Reflexão

V.

Bom é amar e ser amado, é acordar ao lado de quem nos faz sorrir no segundo que abrimos os olhos. Bom é olhar no espelho e sentirmos orgulho da pessoa que somos, sentir que, com escolhas melhores ou piores, vivemos a vida cabalmente, que enfrentamos a vida com coragem, determinação e bom senso. Bom é aprendermos com as lições que a vida nos dá, sem julgamentos ou recriminação e não mantermos o padrão das expectativas sufocantes que nós mesmos criamos.

Mau é viver uma mentira para manter o status quo, percorrer a vida numa letargia consciente, cientes de que este não é o nosso propósito. Mau é viver agarrados a uma crença limitante de que a vida não nos trará mais nada para além disto. Viver na ilusão de que nos sacrificamos por um bem maior, apenas e só, porque temos medo das consequências. Não amar, nem permitir que mais ninguém ame pela nossa cobardia. Impedir o outro de viver uma vida e um amor pleno, porque estamos convencidos que, se não formos nós, não será mais ninguém.

Nos vislumbres de felicidade absoluta que vivi, percebi quem eu sou. Ao teu lado descobri esta mulher ameninada, alegre e brincalhona, esta mulher que solta uma gargalhada que vem de dentro e é genuína. Não esconde o seu sorriso, não tem vergonha da sua nudez, é sedutora e voraz. Cabe nela a dicotomia, é um ser de luz e abraça a sua escuridão, os sorrisos são tão sentidos como as lágrimas, brinca com a mesma sinceridade com que revolve os seus medos e traumas. Esta mulher que fizeste conhecer, sabe que tudo o que se passou na sua vida a tornou mais forte e confiante, mais sábia e compassiva. Não é uma vítima, não é fraca, não é produto da vida, pelo contrário, comanda a vida. É um ser paciente, mas com limites, é independente e completa, mas tu acrescentas à sua felicidade. Vive sem ti, claro... simplesmente não quer e esta mulher, luta pelo que quer. Tem leveza e muita intensidade, gosta de ti pelas tuas virtudes e ama-te conhecendo os teus defeitos. É uma guerreira muito feminina, uma senhora muito louca, uma menina muito matura e sente a vida todos os dias, o bom e o mau, o dia e a noite, a alegria e a tristeza, porque sabe que um não existe sem o outro. Esta mulher viu em ti tudo o que podia ser, tudo o que é e tudo o que será e não está disposta a perder-se novamente. Obrigada.

09.12.20

Pesadelo

V.

Sonhos perdidos no vento

A dor de um coração partido

Olhares vazios no firmamento

A tristeza de um amor ferido

 

Corro, corro e não te alcanço

Grito, um grito trôpego

Só no teu peito forte há descanso

Só o teu beijo me dá fôlego 

 

Sem ti, o mundo torna-se inferno

O leão do desespero ruge sobre mim

Preciso do teu toque terno

Preciso de ti até ao fim

 

Vais fugir, desaparecer

Vais correr o mundo, viver

E o meu coração irá fechar

No dia em que isto acabar.

 

04.12.20

Tempestade...

V.

Vestida de branco ela veio e cobriu os campos

Tão bela quanto mortal

Com a fragilidade de uma gota de chuva e a força da trovoada

Tocaram os sinos

Esconderam-se os cães e os gatos

O farol há horas que anunciava a sua chegada

Tão temperamental quanto suave, sentimos a sua magnificência

O sol cobriu-se com as nuvens para a deixar brilhar

As árvores dançaram todo dia e toda noite ao seu ritmo

O vento e os mares, convidados de destaque na sua festa

E nós, meros mortais, postos no seu lugar

Para apenas observar em êxtase a força dela

A nossa pequenez

A sua grandiosidade

A beleza do seu esplendor...

 

02.12.20

Sonhemos

V.

Sonhemos 

Com um mundo melhor

Um mundo onde o Homem não é Bandalho

Onde a mulher não é Puta

Onde o amor prevalece e o ódio é combatido com compaixão

Sonhemos

Com um mundo onde os fortes protegem os fracos

Onde existe compreensão

As armas são substituídas por diálogos

Um mundo sem guerras

Sonhemos

Com um mundo sem fome

Onde as pessoas ajudam o próximo ao invés de o invejar

Onde nenhuma criança sofre

E nenhum velho é abandonado

Sonhemos

Com um mundo onde a solidão é combatida com abraços

Um mundo de sorrisos

Em que famílias nascidas ou escolhidas se juntam

Onde se tratam os enfermos e se consolam os que os perderam

Sonhemos...

Só porque sim

Só porque podemos

Só porque esta é a época de sonhos

E "o sonho comanda a viva"...

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub